Loading...

sábado, 31 de maio de 2008

Voltar a andar?

Uma das questões que se levanta, é se depois de uma lesão medular se pode ou não voltar a andar. Segundo as nossas pesquisas a resposta é não. Devido à especificidade das estruturas em questão e à complexidade das células do sistema nervoso que não são capazes de regenerar , a informação enviada pelo cérebro (responsável pela informação que chega a todas as partes do corpo), não consegue ultrapassar a barreira causada pela lesão, não transmitindo assim qualquer informação a baixo desta. Isto confere um carácter irreversível a uma lesão medular.
No entanto é importante que se faça um acompanhamento do lesado, pois o tempo é a grande resposta de recuperação.
O então, deficiente motor deverá ser acompanhado por um técnico especializado, normalmente são fisioterapeutas, que se encarregarão de reforçar o potencial funcional dos deficientes.
Com o avanço da ciência e tecnologia os investigadores, estão a investir no chamado “Santo Grall dos neurónios”, para que haja uma esperança de regenerar as células complexas do sistema nervoso e realizar o sonho de muitas pessoas!

domingo, 25 de maio de 2008

Ser deficiente é, ou melhor não é...

"...não é não ter uma perna. Não é viver numa cadeira de roda, não é andar devagar, nem é falar enrolado. O "Ser Deficiente" é uma definição muito difícil de ser estabelecida, pois em que consiste a "deficiência" ou a "normalidade" ? Vivemos numa sociedade em que regras são estabelecidas e quando não as cumprimos, somos tachados de diferentes, rebeldes e muitas vezes até de "anormais". "

Procurei, mas não encontrei a definição de deficiente, porque não existe!Mas aqui vos deixo alguns conceitos feitos relatos de pessoas ditas "deficientes" :

O que é ser deficiente?


"Deficiente" é aquele que não consegue modificar a sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive...."Cego" é aquele que não vê o seu próximo morrer de frio, fome, miséria ...."Surdo" é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, o apelo de um irmão... ."Mudo" é aquele que não consegue dizer o que sente e esconde-se por trás da máscara da hipocrisia."Paralítico" é quem não consegue andar na direção dos que precisam de ajuda."


Extraído : http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20080205130125AAonQPc

sábado, 24 de maio de 2008

Sexualidade em deficientes motores....



"Uma coisa em que raramente se ouve falar é na sexualidade nos deficientes motores. Talvez por indiferença ou por falta de conhecimento do assunto, quando ouvimos falar em sexualidade, na escola ou noutras instituições, ninguém se lembra de abordar quais as diferenças que existem para pessoas com mobilidade reduzida". Após a lesão na medula por vezes “o sexo” é visto como uma coisa do passado.
A realidade é diferente, pois após uma lesão, a sexualidade não tem que ser posta de lado.
Após algumas pesquisas, conclui que a sensibilidade no órgão sexual pode não se perder totalmente, depende sim da gravidade da lesão, não há que generalizar.
Quem sofre de lesão na medula ou o/a companheiro/a de alguém com este problema deve sempre procurar esclarecimento e ajuda.
Encontrei este site, onde o tema é abordado, assim como outros temas, quem estiver interessado, consulte: http://www.d-eficiente.net/. ;P

quarta-feira, 14 de maio de 2008

Diário de Bordo


Nestas últimas que restam para o termino do final do ano, o grupo tem se concentrado mais na apresentação final do projecto, a qual já foi realizada na passada terça-feira, a duas turmas de 11ºano e a uma de 12ºano. Esta apresentação teve como base tudo o que realizamos ao longo do ano lectivo, e na tentativa de transmitir as nossas ideias sobre este tema de forma a mudar alguma coisa na nossa sociedade, que pode ser a base para o futuro.

Para além disto, temos tentado "andar" com o projecto da rampa, a qual já recebemos os materias para a sua construção, faltando ainda iniciar a sua construção.


Nestas semanas ainda para além da construção da rampa, temos ainda em mãos a realização do relatório final de ano, onde iremos retratar todo um ano de trabalho.

Esperamos ainda por os vossos comentários ao nosso Blog e a participação no nosso desafio, "Tà Mal!"

terça-feira, 13 de maio de 2008

Barreiras psicológicas ultrapassadas


Depois de realizada a nossa apresentação a algumas turmas da escola, concluimos com sucesso o nosso projecto, mas apesar disso ficaram algumas arestas por limar, como a construção da rampa no recinto da escola. Rampa esta que esperamos estar concluida até ao final do ano lectivo, para ai sim acabarmos a analise do nosso projecto com um sorriso no rosto e com o dever da mudança já cumprido.
Com esta nossa apresentação, conseguimos pôr todô o público presente a pensar sobre tudo aquilo que estamos a tentar mudar, perecebendo assim que eles são peças de um puzzle que só junto o conseguiremos traçar como uma mete que foi atingido. Mas não basta só pensar mas também agir, e ajudar todos aqueles que mais precisam para um dia conseguirem a sua independência.
A ajuda do Pedro foi muito importante também na nossa apresentação. Foi apartir dele que conseguiomos demonstrar a realidade contada por uma pessoa que sofre deste deficiência. Demonstrou ser uma pessoa lutadora e humilde, e tem vindo a vencer barreiras com o passar dos anos. A ele e a todos que tem acompanhado o nosso projecto um agrande agradecimento de todo o grupo, e esperamos ver que o nosso esforço em mudar as barreiras psicológicas tenha gerado alguns resultados e que cada vez mais o mundo seja melhor para todos.

Pensamento da semana

“As guerras seguirão enquanto a cor da pele tiver maior significado que a cor dos olhos” Bob Marley

sexta-feira, 9 de maio de 2008

Apresentação final de projecto

O ano lectivo esta a terminar e chegou a hora de apresentar o nosso trabalho a toda a comunidade escolar.

A apresentação foi marcada para a próxima segunda-feira , ás 10:05 da manhã e já foram convocadas todas as turmas que nós, os Rodinhas, achamos melhor apresentar o nosso projecto.

Na nossa apresentação vamos mostrar todo o trabalho que temos feito ao longo do ano lectivo, inclusivamente o projecto da rampa que em breve será construida na nossa escola. Esta apresentação vai ter também como objectivo sensiblizar a comunidade escolar de todo o trabalho desenvolvido que tem sido muito importante e gratificante. Vamos também trazer para a nossa apresentação uma pessoa que sofre de deficiência motora, que irá falar da sua história de vida e dar a sua opinião sobre a sociedade que nos rodeia e que cada vez mais se mantém transparente perante este "problema".

Mário Trindade supera desafio


Após temos lançado a noticia do desafio lançado por Mário Trindade de cumprir a viagem de Vila Real ao santuário de Fátima, fomos acompanhando o desenrolar deste desafio.
Depois de 7 dias de grande esforço e luta, Mário Trindade chegou hoje a Fátima com a enorme satisfação de mais um desafio superado.
Já em Fátima Mário Trindade disse a uma das televisões portuguesas que este desafio teve como objectivo alertar as entidades governamentais, para a dificil integração das pessoas com deficiência e para uma mudança de mentalidades.

terça-feira, 6 de maio de 2008

PARAPLÉGICO GERE CAFÉ

Há 34 anos um acidente de viação atirou-o para uma cadeira de rodas. Manuel Damásio, hoje com 62 anos, não se deixou abater e gere um café, em Vale Florido, Tomar, há três décadas. Chama-lhe a segunda casa do Benfica do concelho d Tomar.

Paraplégico tem de usar escadas para ter formação profissional


Um acidente de moto, há 15 anos, atirou Paulo Moreira, de 39 anos, para uma cadeira de rodas.


Hoje sente na pele a discriminação. Não tem emprego e para aumentar as suas habilitações recorreu ao Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) de Gondomar para tirar um curso de informática. Foi colocado nas acções de formação que o IEFP dá nas instalações da Junta de Freguesia de Rio Tinto, cujo edifício-sede não tem rampa de acesso para deficientes. Junta e Centro de Emprego refutam responsabilidades.


Paulo chega às instalações da junta às 09.00 e, quase sempre, permanece ao cima das escadas, com quatro degraus, até que algum dos colegas chegue e o ajude a descer. "Deviam criar um acesso para poder entrar e sair sem estar dependente dos outros alunos", afirmou o formando ao DN, que já questionou o responsável da junta de freguesia para o problema e o Centro de Emprego. A resposta tem sido "o jogo do empurra quanto às responsabilidades pela situação".


"Quando alugamos uma casa temos de criar condições para que as pessoas possam lá morar. Aqui devia ser a mesma coisa, ainda por cima tratando-se de um edifício público que por lei tem de estar equipado com acessos condignos para todos os cidadãos", acrescenta Paulo, à saída de mais uma aula e enquanto a sua cadeira de rodas é carregada por dois dos colegas de curso. Já por várias vezes a formadora do curso, que se mantém atenta ao portão ao cimo da escadas de forma a aperceber-se da chegada do aluno paraplégico, teve de atrasar a aula.


Marco Martins, presidente da Junta de Freguesia de Rio Tinto, justifica o facto de ter cursos a funcionar na autarquia sem condições de acesso para deficientes: "Só dessa forma se pode evitar que as pessoas se desloquem para fora da freguesia para ter formação". O autarca garante que informou o IEFP da falta de condições e que, mesmo assim, o organismo"enviou uma pessoa com deficiência".


Para o autarca a situação é desagradável. "Não temos nenhum gosto em fazer esta discriminação", refere, explicando não ser possível criar uma rampa junto às escadas com declive máximo de 6 %. Mas a autarquia tem um projecto e pretende realizar obras. "Falta apenas financiamento", acrescenta o autarca.


"Para nós uma pessoa com deficiência é igual a outra qualquer. Tem os mesmos direitos e deveres", afirmou ao DN Adolfo Sousa, do IEFP de Gondomar. Este responsável recorda que Paulo Moreira foi encaminhado para a Junta de Freguesia de Rio Tinto "na sequência do seu plano pessoal de emprego".


O IEFP sabia das dificuldades de acesso do edifício e nessa altura terá informado o formando da situação. "O aluno só tinha duas opções: ou aguardava por nova acção a realizar noutro local ou aceitava as condições. Foi o que aconteceu", afirma o responsável. A acção de formação do Paulo, iniciada em Julho, terminou em 13 de Dezembro do ano passado.

Atleta deficiente alerta para as barreiras arquitectónicas


Alertar para os problemas sentidos pelas pessoas com deficiência é o objectivo de uma viagem entre Vila Real e Fátima Mário Trindade, em cadeira de rodas, e Fernando Pinto, a correr a pé, partiram de Vila Real na passada sexta-feira, propondo-se chegar a Fátima sete dias depois.

A iniciativa visa assinalar os problemas com que as pessoas com deficiência se debatem diariamente, noticia a Lusa. “Barreiras arquitectónicas já existentes e as novas que surgem a cada nova construção ou a falta de emprego", são alguns desses alertas. O atleta paraplégico bateu o recorde de corrida de cadeira de rodas em Dezembro de 2007, percorrendo 183 quilómetros em pouco mais de 18 horas. O seu grande sonho é participar nos Jogos Paraolímpicos.

É preciso mudar...


T'á Mal!


Fica um apelo...


Diário de Bordo

Estamos quase no fim do ano lectivo, e o nosso projecto caminha a passos largos para o final.
Para concluir este nosso projecto, vamos fazer uma apresentação a comunidade escolar de todo o trabalho que desenvolvemos ao longo do ano. Para isto vamos convocar duas turmas de 11º ano, uma do curso de ciências e tecnologias e outra de Humanidades ao qual vamos passar as nossas ideias para que esta "luta" não seja só restrita ao nosso grupo de trabalho.
Em relação ao nosso projecto da rampa, já conseguimos obter os materiais para a construção, faltando agora só iniciar a sua construção.

Estamos a espera ainda das vossas sugestões, para o concurso "Ta Mal!"......não te esqueças que podes ganhar prémios e ao mesmo tempo ajudar "Os Rodinhas" a melhorar o seu trabalho

segunda-feira, 5 de maio de 2008

Pensamento da Semana

Não importa o que o passado fez de mim. Importa é o que farei com o que o passado fez de mim.

Lokomat....a tecnologia que traz novas esperanças


Devido a todo o mundo que nos rodeia, e a todas as novas inovações cada vez mais surgem pessoas com deficiências motoras, muitas delas sem esperança para a sua recuperação. Mas para alem destas tecnologias que fazem automóveis cada vez mais velozes, e vários aparelhos que colocam a vida humana em causa, também surgem novos aparelhos que podem trazer uma réstia de esperança para as pessoas que sofrem de deficiências motoras e em que a sua recuperação ainda não esta posta totalmente em causa.
Com isto surgiu o Lokomat, um auxiliar automático de marcha que simula os movimentos do paciente quando este caminha. Digamos que é uma ortótese de marcha electrónica.

Avaliado como uma das mais inovadoras tecnologias, o Lokomat é o sonho para qualquer deficiente motor não só pela sensação de voltar a andar, como pelos benefícios que comporta em termos musculares.
Permite, ainda, aos terapeutas trabalharem com vários doentes ao mesmo tempo, dado que, através de programação computorizada o LoKomat cumpre os objectivos sozinho sem exigir que o terapeuta esteja com o doente a simular os passos, como em aparelhos anteriormente desenvolvidos pela Christopher and Dana Reeve Foundation.

Este é ainda um aparelho muito caro, e por isso só existe ainda três aparelhos em Portugal, o último dos quais foi instalado no conceituado Centro de Reabilitação de Alcoitão.