Loading...

sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

Até para o ano




De momento encotramo-nos de Férias.......FelizNatal..........Bom Ano 2008........

...Voltaremos dia 7 de Janeiro

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Diário de Bordo


Estamos na nossa penúltima semana de aulas, e pode-se dizer que tem sido uma semana muito cansativa, com os trabalhos finais do nosso projecto.
É de realçargrupo colaboraram para que os resultados no fim fossem os melhores.
A continuação da apresentação do nosso projecto foi um dos pontos em que nos debruçamos esta semana, pois para além de apresentar o nosso trabalho a Vocês, temos também que demonstrar a turma através de uma curta apresentação no Power Point do que é o nosso também que nesta semana comemorou-se o dia Internacional do Deficiente, onde nesse dia toda a comunidade mundial empenhou-se para tornar este dia muito especial, com a realização de vários eventos a nível mundial, onde todos participaram.

Em relação ao paraprojecto, nesta semana terminamos o relatório final, onde todos os elementos do projecto.

Bem, para concluir esta semana de solidariedade perante todos os que vivem com deficiências físicas gostávamos de vos desejar um Feliz Natal e um Bom Ano Novo, e fica a promessa de que em 2008 o nosso projecto vai continuar a avançar num bom caminho.

Até para o ano!!!

Solidariedade venceu as limitações físicas...

Após muito esforço e cansaço, Mário Trindade ao fim de 19 horas conseguiu atingir os seus objectivos, batendo o recorde do Guinness e conseguindo logo da parte da manhã obter a carrinha para as duas irmãs deficientes açorianas.



Tal como estava previsto no início do dia 3 de Dezembro, Mário Trindade por volta da meia-noite, percorreu cerca de 183 quilómetros, equivalente a 457 voltas à pista de atletismo da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. Nesta sua pequena maratona, as pausas de 3 em e horas foram fundamentais para a recuperação de forças e para o atleta receber uma motivação extra de dezenas de pessoas que foram aparecendo ao longo do dia.


Para além da tentativa de entrar no Guinness, Mário Trindade conseguiu ajudar numa causa nobre, ao conseguir logo na parte da manhã um patrocínio de um empresário da Figueira da Foz, para a angariação de uma carrinha para duas irmãs deficientes açorianas.


Este foi mais um grande exemplo de solidariedade e cooperação, dentro de uma sociedade que cada vez mais não sabe lidar com a diferença dos outros e que pouco se importa com aspectos de causas nobres.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

Português tenta entrar no Guiness....e ajudar em causa nobre


Hoje no dia Internacional dos Deficientes, mais um português tentam entrar para o Guiness, desta vez num desafio muito especial e com objectivos de ajudar quem mais precisa.
Mário Trindade, atleta paraplégico de Vila Real terá de andar 184 quilómetros numa cadeira de rodas, durante 24 horas. Apesar de parecer uma tarefa muito difícil, vai ser feita por uma boa causa, angariar dinheiro para oferecer a duas deficientes açorianas.

Esta difícil tarefa, vai ter apoio de alunos e professores do Departamento de Desporto da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, que ao longo desta etapa vão-lhe fazendo companhia e, se necessário, entregam-lhe barras energéticas e água para não se ir abaixo.

Esta é um grande exemplo que não há barreiras para quem luta por aquilo que acredita, e mostrar que as suas limitações físicas, não o impedem de ajudar quem precisa também.

Dia Internacional do Deficiente

Hoje dia 3 de Dezembro comemorou-se o dia Internacional do Deficiente Físico, onde o Mundo abriu os braços e realizou vários eventos que envolveram pessoas com deficiência física e organizações internacionais. A promoção dos direitos humanos dos deficientes e de assuntos relacionados com esta doença, fazem parte de um plano de sensibilização da sociedade que parece não estar preparada para enfrentar a diferença e limitações dos outros. Neste dia criam-se ainda vários objectivos que se espera que sejam cumpridos com sucesso, como a conquista de oportunidades iguais às de pessoas não portadoras de deficiência e tentar garantir que estas pessoas possam participar plenamente na vida da comunidade.

Em Portugal de acordo com a APD (Associação Portuguesa de Deficientes) não há qualquer motivo para comemorar este dia, pois acredita que há grandes retrocessos no processo de inclusão social das pessoas portadoras da deficiência, e que o futuro não se adivinha nada brilhante para estes. Apesar de tudo, em Portugal realizaram-se várias iniciativas em vários pontos do país, como a realização de seminários, de acções de formação, de eventos desportivos e ainda a apresentação pelo primeiro-ministro do Plano de Acção para a Integração das Pessoas com Deficiências ou Incapacidade 2006-2009.




domingo, 2 de dezembro de 2007

O grito da revolta...

José Lima, 52 anos, paraplégico desde 1997, vítima de um acidente de trabalho, quer hoje combater a injustiça de que diz ser alvo! Sublinha as barreiras arquitectónicas que o condicionam «A sociedade está pouco disponível para coabitar com a diferença»,«Eu sinto que não tenho justiça em Portugal, os meus direitos são violados todos os dias»,denuncia, frisando que além da barreira das acessibilidades há ainda a do emprego, difícil de ultrapassar para quem se move em cadeira de rodas, queixa- se que todas as portas se lhe fecham automaticamente quando se apresenta em qualquer empresa em cadeira de rodas. Apela ao governo: «Espero que essa sensibilidade esteja também nas esferas superiores, nas pessoas que nos governam». Lutando pelos seus direitos, José Lima parte numa batalha de 800km, usando como arma de combate a sua cadeira de rodas e a força de vontade, os inimigos serão as barreiras. E é assim que parte de Viana do Castelo e 20 dias depois vence a sua própria força, chegando a Faro. José Lima definiu a sua viagem como «um grito rebelde e de sede de justiça»!